ee           cao            ur            cmr          cfp            sad            cep

dobrarguardanapos site

TRANSIÇÃO PARA A VIDA PÓS-ESCOLAR: um exemplo de INCLUSÃO SOCIAL

No âmbito do Projeto para a Transição para a vida pós-escolar, o CECD de Mira Sintra dispõe de uma equipa de Técnicos de Transição cuja função é capacitar e/ou auxiliar os Agrupamentos de Escolas na mediação de protocolos com entidades da comunidade para a inclusão laboral e/ou social de jovens com incapacidade, bem como, caso os elementos assim o desejem, capacitar e/ou auxiliar no delineamento do processo de transição em conjunto com a equipa educativa, jovem e sua família, enquadrando todas as perspetivas mas primordialmente, respeitando as escolhas da família e do aluno.

Gostaríamos de dar a conhecer um dos casos entre muitos que esta equipa apoia. Falamos de um jovem de 17 anos, inserido numa turma de ensino profissional de Auxiliar de Apoio à Infância, com várias limitações moderadas e graves ao nível das funções do corpo, atividade e participação, no entanto com uma grande área forte: vontade de ajudar e capacidade em cumprir horários e uma memória fantástica.

A elaboração do seu Plano Individual de Transição obedeceu a várias fases. Iniciou-se pela exploração dos seus desejos e interesses, bem como, a auscultação das expetativas e sugestões da família e restante equipa.

Este ano letivo foi um ano de transição de estabelecimento escolar, onde ingressou pela primeira vez numa escola de ensino secundário. Desde logo o constrangimento que se impunha era a limitação na utilização dos transportes públicos, que até então nunca tinha utilizado de forma autónoma, pois o seu transporte era feito por uma carrinha especializada. Assim, antes de qualquer mediação entre a escola e os parceiros, realizou-se a avaliação da capacidade e seguidamente o respetivo treino para que o jovem adquirisse esta autonomia, respondendo ao interesse do mesmo e às necessidades da família.

Reunindo todos os intervenientes do plano e tendo em conta o perfil de funcionalidade do jovem, optou-se por procurar um parceiro na sua área de residência - Freguesia de Bucelas, concelho de Loures. Bucelas é uma comunidade pequena, essencialmente rural. O Pedro, sendo um jovem da freguesia e tendo em conta a sua capacidade de se relacionar com as pessoas e o seu gosto em ajudar, pensou-se que poderia auxiliar em tarefas de serviço/apoio social. O passo seguinte consistiu no contacto com o parceiro, a Instituição de Apoio Social da Freguesia de Bucelas (IASFB) que prontamente aceitou o desafio do Agrupamento de Escolas de José Afonso-Loures.

Durante este ano letivo o Pedro, a par das suas atividades em contexto escolar, enquadradas no seu Currículo Específico Individual, executa o seu Plano Individual de Transição no IASFB colocando as mesas do refeitório e outras tarefas associadas.

Foram várias as dificuldades com que se deparou: colocar os individuais alinhados com as cadeiras dos utentes, dobrar os guardanapos, abrir os pacotes de batatas fritas, etc. Alguns destes desafios conseguiu ultrapassar de forma autónoma, outros ainda necessita de ajuda. Todas as semanas o Pedro conta na escola e em casa as suas conquistas, onde transparece essencialmente a sua felicidade em ajudar.

a chegada site     individuais site

Durante todo o processo, a articulação entre a escola, o parceiro e a família foi uma constante quer inicialmente por contactos presenciais (ajustando as tarefas ao perfil) quer por contactos telefónicos de supervisão.

No final do ano letivo serão enquadradas as perceções de todos os intervenientes na avaliação do PIT, onde destacamos desde já a vontade expressa do Pedro de ajudar mais vezes por semana, como ilustração da sua perceção de competência e autossatisfação na execução do seu Plano, em nosso parecer o objetivo mais importante de todos estar feliz.

Equipa do Centro de Recursos para a Inclusão | Plano Individual de Transição
C.E.C.D. Mira Sintra

Visitas: 126